Busca rápida
por título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 
Literatura estrangeira  
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13  

Diário de Kóstia Riábtsev

Nikolai Ognióv

Tradução de Lucas Simone
Posfácio de Muireann Maguire
 
O Diário de Kóstia Riábtsev (1926) foi uma das primeiras obras soviéticas de ficção a obter repercussão mundial. A partir de sua experiência como pedagogo, Nikolai Ognióv (1888-1938) cria o personagem de Kóstia, um estudante impulsivo e franco que narra em seu diário o cotidiano dos primeiros anos após a Revolução, abordando tanto as grandes questões sociais do período como as desventuras da vida de um adolescente comum.
R$ 78,00
 
Inveja

Iuri Oliécha

Tradução de
Boris Schnaiderman
 
Publicada na Rússia em 1927, a novela Inveja é um dos mais bem-sucedidos experimentos de prosa de ficção do período revolucionário. Com um ritmo vertiginoso, que por vezes lembra uma tela cubista, Iúri Oliecha (1899-1960) põe em cena, de um lado, um jovem sonhador e despreparado para a vida e, de outro, um poderoso diretor de indústrias do novo regime soviético. O resultado é um livro de humor lancinante, repleto de ambiguidades, e cuja intensidade verbal e imaginação desenfreada foram recriadas com brilho pela tradução de Boris Schnaiderman, que também assina dois ensaios sobre Oliécha e sua obra incluídos nesta edição.
R$ 59,00

 
Na pele de um leão

Michael Ondaatje

Tradução de Rubens Figueiredo
 
Na pele de um leão nos remete ao Canadá dos anos 1920, onde, a partir da história de Patrick Lewis, que chega a Toronto em busca de emprego, outras narrativas se ramificam e se desdobram, no estilo sutil de um dos maiores escritores contemporâneos da língua inglesa.
R$ 68,00

     
A exposição das rosas
e A família Tóth

István Örkény

Tradução de Aleksandar Jovanovic
Prefácio de Nelson Ascher
 
Este livro reúne as duas novelas mais conhecidas de um dos maiores escritores húngaros do século XX, István Örkény (1912-1979). Combinando ironia, nonsense e um gosto singular pelo grotesco e o tragicômico, "A família Tóth" apresenta a história de um major com trauma de guerra que leva à loucura a pacata família que o recebe durante sua licença médica, enquanto que "A exposição das rosas" traz a narrativa de um documentário da TV estatal húngara sobre os últimos dias de vida de três pacientes terminais: um obcecado linguista, um escritor boêmio e uma humilde florista.
R$ 62,00
 
As leis

Connie Palmen

Tradução de Paula M. Bennink
 
Vencedor do European Novel of the Year Award, este romance narra a história de Marie Deniet, uma estudante de filosofia, e seus encontros com sete homens diferentes: um astrólogo, um epiléptico, um padre, um filósofo, um psicólogo, um físico e um artista.
indisponível
R$ 59,00

 
Satíricon

Petrônio

Tradução de Cláudio Aquati
Textos em apêndice de Tácito, Marcel Schwob e Raymond Queneau
Projeto gráfico de Raul Loureiro
 
O mais antigo exemplar do romance latino a sobreviver até os nossos dias, ainda que de forma fragmentária, o Satíricon de Petrônio foi escrito por volta de 60 d.C., no período do imperador romano Nero. Narrando as aventuras de Encólpio, seu amante Ascilto e o servo Gitão, que formam um tumultuado triângulo amoroso e se metem em uma série de confusões para pagar uma dívida ao deus Priapo, o livro é uma grande sátira à caótica civilização romana, ao mesmo tempo em que registra de forma ferina as relações entre os diferentes estratos sociais da época.
R$ 68,00

     
O ano nu

Boris Pilniák

Tradução de Lucas Simone
Posfácio de Georges Nivat
 
O ano nu, de Boris Pilniák (1894-1938), publicado em 1922, capta o impacto da Revolução de 1917 em um vilarejo à beira das estepes orientais, acompanhando, no calor da hora, o declínio da nobreza rural e a ascensão dos camponeses no ano de 1919. Com sua escrita extremamente inventiva, que incorpora arcaísmos, onomatopeias, refrões e citações de crônicas antigas, o autor criou uma forma literária nova, que, como nota Georges Nivat no posfácio, está próxima das experiências do cinema de vanguarda de Dziga Vertov e Serguei Eisenstein.
R$ 69,00
 
Carta das ilhas Andarilhas

Jacques Prévert

Ilustrações de André François
 
Era uma vez uma ilha fora do mapa, avessa ao trabalho e a todo tipo de tirania. Quando os habitantes do continente a descobrem e resolvem dominá-la, tudo acaba em confusão. Com a prosa cheia de poesia de Jacques Prévert e os desenhos de André François, este livro é um verdadeiro libelo a favor da liberdade e da alegria.
R$ 56,00

 
A dama de espadas
Prosa e poemas

Aleksandr Púchkin

 
Nascido na Rússia Imperial, Púchkin (1799-1837) é o maior poeta de seu país, sendo considerado um dos fundadores da literatura russa. O presente volume exemplifica a versatilidade do autor através de seus melhores contos, que influenciaram Dostoiévski e Tolstói, e de seus poemas mais famosos.
R$ 69,00

     
Pantagruel e Gargântua
(Obras completas de Rabelais 1)

François Rabelais

Ilustrações de Gustave Doré
 
Primeiro dos três volumes das Obras completas de Rabelais organizadas e vertidas ao português pelo premiado tradutor e poeta Guilherme Gontijo Flores, este livro reúne os romances Pantagruel (1532) e Gargântua (1534), as criações mais conhecidas do genial escritor renascentista francês François Rabelais (1483?-1553), que colocaram o autor, segundo Mikhail Bakhtin, num lugar na história da literatura “ao lado de Dante, Boccaccio, Shakespeare e Cervantes”. As aventuras dos gigantes beberrões Gargântua e Pantagruel, pai e filho, e suas peripécias em Paris e outros locais reais e imaginários, são um dos pontos altos da ficção humorística ocidental. Alternando com extrema liberdade os registros popular e erudito, e se utilizando da picardia, do grotesco e do escatológico para satirizar a pompa dos poderosos, Rabelais antecipou recursos estilísticos que só apareceriam séculos depois na prosa moderna. Completam o volume cerca de 120 ilustrações de Gustave Doré, selecionadas a partir das edições de 1854 e 1873 da obra de Rabelais.
R$ 99,00
 
A gaiola

José Revueltas

Tradução de Samuel Titan Jr.
Projeto gráfico de Raul Loureiro
 
Confinados a uma cela de castigo, à mercê da espera, do poder e do acaso, três prisioneiros seguem os menores movimentos do pavilhão penal, espreitando a chegada providencial das três mulheres que contrabandeiam a droga, "anjo branco e sem rosto", e os libertam da "sufocante massa de desejo" que os tortura... Obra central da ficção latino americana, A gaiola foi escrita em 1969, na prisão de Lecumberri, na Cidade do México, onde José Revueltas pagava caro por seu papel de líder do movimento estudantil de 1968. Um dos grandes textos da literatura penitenciária, na vizinhança de Graciliano Ramos e Jean Genet, A gaiola vai além: brutal e lírica, ela subverte as relações de força e se transforma numa poderosa parábola sobre a condição humana.
R$ 49,00

 
Glaxo

Hernán Ronsino

Tradução de Livia Deorsola
Projeto gráfico de Raul Loureiro
 
Primeiro livro de Hernán Ronsino publicado no Brasil, Glaxo é uma breve e contundente novela passada em uma pequena cidade do pampa argentino, que tem como pano de fundo o fechamento da única fábrica da região. Como se fosse um western escrito por William Faulkner ou Selva Almada, a obra traz uma narrativa fragmentada, em que suas peças, que incluem as vidas de quatro conhecidos e uma mulher, só se encaixam ao final, elucidando uma trama de desejo e vingança que pode ser lida como uma espécie de alegoria dos destinos daquele país.
R$ 49,00

     
1   2   3   4   5   6   7   8   9   10   11   12   13  

© Editora 34 Ltda. 2022   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779