Busca rápida
digite título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 
Literatura estrangeira | Literatura russa
 

 R$ 42,00
         




 
Informações:
Site
site@editora34.com.br
Vendas
(11) 3811-6777

vendas@editora34.com.br
Assessoria de imprensa
imprensa@editora34.com.br
Atendimento ao professor
professor@editora34.com.br

Uma história desagradável

 

Fiódor Dostoiévski

Tradução de Priscila Marques
Posfácio de Aleksei Riémizov

112 p. - 14 x 21 cm
ISBN 978-85-7326-637-5
2016 - 2019 - 2ª edição
Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Uma história desagradável narra como o alto funcionário Ivan Ilitch Pralínski, após algumas taças de champanhe, decide coroar seu recém-desperto amor pela humanidade com um gesto magnânimo e paternal: entrar de penetra na festa de casamento de Pseldonímov, um de seus mais baixos subordinados, e conquistar a todos ali "de forma irresistível", fazendo "renascer neles toda a nobreza".
Publicada em 1862 na revista O Tempo, esta obra-prima da narrativa curta, contemporânea a Humilhados e ofendidos (1861) e Recordações da casa dos mortos (1862), faz parte da produção de um Dostoiévski recém-saído da prisão e que marca sua presença no principal debate da época - o conjunto de reformas que trouxe a libertação dos servos, e o clima de ingênuo otimismo que então se espalhava por parte da sociedade.
A tradução de Priscila Marques, a primeira realizada diretamente do russo no Brasil, reconstrói em nossa língua as nuances de tom, o vocabulário às soltas e a trama de referências do texto original. Quanto a isso, é especialmente elucidativo o ensaio de Aleksei Riémizov, incluído nesta edição, que revela ainda os fatores que tornam esta novela o primeiro elo da corrente que conduz aos grandes romances Crime e castigo, O idiota e Os irmãos Karamazov.


Sobre o autor
Fiódor Mikháilovitch Dostoiévski nasceu em Moscou em 1821, e estreou na literatura com o romance Gente pobre, em 1846, ao qual se seguiram O duplo (1846) e Noites brancas (1847), entre outros. Após ser preso e condenado à morte pelo regime tsarista em 1849, teve sua pena comutada para quatro anos de trabalhos forçados na Sibéria, experiência retratada em Escritos da casa morta, livro que começou a ser publicado em 1860, um ano antes de Humilhados e ofendidos. Após esse período, escreve Memórias do subsolo (1864), Um jogador (1867), O eterno marido (1870) e uma sequência de grandes romances, Crime e castigo (1866), O idiota (1869), Os demônios (1872) e O adolescente (1875), culminando com a publicação de Os irmãos Karamázov em 1880. De 1873 até o ano de sua morte publicou ainda o Diário de um escritor, reunindo peças jornalísticas e de ficção. Reconhecido como um dos maiores autores de todos os tempos, Dostoiévski morreu em São Petersburgo, em 1881.



Sobre a tradutora
Priscila Marques nasceu em São Paulo em 1982. É formada em Psicologia pela Universidade Presbiteriana Mackenzie. Mestre e doutora em Literatura e Cultura Russa pela FFLCH-USP, é autora da dissertação de mestrado "Polifonia e emoções: um estudo sobre a subjetividade em Crime e castigo" e da tese de doutorado "O Vygótski incógnito: escritos sobre arte (1915-1926)". Traduziu os contos "Mujique Marei", de Fiódor Dostoiévski, e "De quanta terra precisa um homem?", de Lev Tolstói, para a antologia Clássicos do conto russo (Editora 34, 2015), e a novela Uma história desagradável, de Dostoiévski (Editora 34, 2016).



Veja também
Um pequeno herói
Bobók
Dois sonhos
O sonho do titio e Sonhos de Petersburgo em verso e prosa

 


© Editora 34 Ltda. 2020   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779