Busca rápida
digite título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 
Clássicos da literatura | Infanto-juvenil | Literatura estrangeira
 


 R$ 45,00
         

        frete grátis  (saiba mais)

       




 
Informações:
Site
site@editora34.com.br
Vendas
(11) 3811-6777

vendas@editora34.com.br
Assessoria de imprensa
imprensa@editora34.com.br
Atendimento ao professor
professor@editora34.com.br

Aventuras de Alice no País das Maravilhas

 

Lewis Carroll

Tradução de Sebastião Uchoa Leite
Ilustrações de John Tenniel
Projeto gráfico de Raul Loureiro

144 p. - 15 x 22,5 cm
ISBN 978-85-7326-639-9
2016 - 1ª edição
Edição conforme o Acordo Ortográfico da Língua Portuguesa

Publicadas pela primeira vez em 1865, as Aventuras de Alice no País das Maravilhas logo mostraram a que vinham, conquistando crianças, adolescentes e também os leitores adultos. Mais de 150 anos depois, o livro continua a viver seu destino de muitas faces: clássico infanto-juvenil incontornável, cheio de vida e de verve; romance repleto de alusões cifradas e de humor sutil; fonte de inspiração para escritores, artistas e filósofos; matéria-prima de adaptações literárias, versões cinematográficas e assim por diante. Por tudo isso, é sempre hora de ler ou reler as Aventuras de Alice no País das Maravilhas em sua forma integral - com direito às ilustrações originais de John Tenniel e na belíssima tradução do poeta Sebastião Uchoa Leite.


Sobre o autor
Charles Lutwidge Dodgson, mais conhecido sob o pseudônimo de Lewis Carroll, nasceu em Daresbury, Inglaterra, em 27 de janeiro de 1832. Filho de um pastor anglicano, graduou-se em matemática em Oxford, em 1854, e permaneceu ligado a seu college, Christ Church, por toda a vida, lecionando e publicando nas áreas de geometria, álgebra e lógica matemática. Terminados os estudos, comecou a publicar contos e poemas, de teor sobretudo humorístico (o famoso pseudônimo apareceu pela primeira vez ao pé de um poema romântico publicado em The Train, em 1856). Ao mesmo tempo, dava seus primeiros passos como fotógrafo diletante, chegando a produzir cerca de três mil imagens, sobretudo retratos de amigos e de crianças. Nesse mesmo ano de 1856, Carroll passou a frequentar a família de Henry Liddell, novo reitor de Christ Church, tornando-se próximo de sua esposa e de suas três filhas, Lorina, Edith e Alice. Durante um passeio de barco com as três crianças, em 4 de julho de 1862, concebeu as linhas gerais do que viria a ser a trama de Aventuras de Alice no País das Maravilhas. Carroll acabou por redigir uma primeira versão da história, que ofereceu à caçula dos Liddell em novembro de 1864 na forma de um caderno manuscrito e ilustrado pelo próprio Carroll, sob o título de Alice's Adventures Under Ground. Nesse meio-tempo, o manuscrito chegara às mãos da editora Macmillan, que imediatamente aceitou publicá-lo. A primeira edição saiu em 1865, ilustrada por John Tenniel e com enorme sucesso comercial. O segundo volume protagonizado pela heroína, Através do espelho e o que Alice encontrou lá, saiu em 1871, sempre com desenhos de Tenniel. A veia fantástica ditou-lhe ainda um poema longo, The Hunting of the Snark (1876), marcado pela invenção verbal e pelo nonsense. Finalmente, três décadas após a primeira Alice, Carroll publicaria Sylvie and Bruno (1895), cuja trama alterna entre a Inglaterra interiorana e diversos reinos feéricos. Lewis Carroll morreu em 14 de janeiro de 1898, na casa de suas irmãs em Guildford, vitimado por uma pneumonia.


Sobre o tradutor
Sebastião Uchoa Leite nasceu em Timbaúba, Pernambuco, em 31 de janeiro de 1935. Estudou Direito e Filosofia em Recife, onde começou a tomar parte na vida literária: seu primeiro livro de poemas, Dez sonetos sem matéria, foi publicado por O Gráfico Amador, de Aloysio Magalhães, em 1960. Mudou-se em 1965 para o Rio de Janeiro, onde trabalhou em diversas lides editoriais - entre as quais a revista de poesia José, que circulou entre 1976 e 1978. Reuniu sua poesia em livros como Signos/Gnosis (1970), Antilogia (1979), Obra em dobras (1988), A uma incógnita (1991), A ficção vida (1993), A espreita (2000) e A regra secreta (2002). Ensaísta de interesses muito variados - da poesia aos quadrinhos, do cinema à filosofia -, publicou quatro volumes de textos críticos: Participação da palavra poética (1966), Crítica clandestina (1986), Jogos e enganos (1995) e Crítica de ouvido (2003). Tradutor de autores como Stendhal, Octavio Paz, Julio Cortázar e Christian Morgenstern, assinou dois monumentos da tradução literária no Brasil: Aventuras de Alice no País das Maravilhas & Através do espelho e o que Alice encontrou lá (Fontana/Summus, 1977) e a Poesia de François Villon (Guanabara, 1988). Sebastião Uchoa Leite faleceu no Rio de Janeiro em 27 de
novembro de 2003.



Sobre o ilustrador
John Tenniel nasceu em Londres, em 28 de fevereiro de 1820. Largamente autodidata, frequentou a Royal Academy of Arts, sem contudo concluir os estudos. Em meados da década de 1840 começou a ganhar fama como desenhista e ilustrador, e em 1851 publicou seu primeiro cartoon nas páginas de Punch, a principal revista de sátira política da época, fundada dez anos antes - a própria palavra cartoon ganhou seu sentido moderno nas páginas do semanário. Ao longo das cinco décadas seguintes, Tenniel publicou mais de dois mil desenhos na revista, convertendo-se numa celebridade nacional e recebendo o título de sir das mãos da rainha Victoria. Em 1864, foi convidado por Charles Dodgson/Lewis Carroll, leitor de Punch, a ilustrar Aventuras de Alice no País das Maravilhas. A primeira edição do romance, publicada no ano seguinte, contava com 42 desenhos de Tenniel, aos quais se somariam os 50 que realizou em 1871 para Através do espelho. John Tenniel aposentou-se em 1901 e faleceu em Londres, em 25 de fevereiro de 1914.

Veja também
Alice
A estrada que não levava a lugar algum
O Bom Gigante Amigo

 


© Editora 34 Ltda. 2017   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779