Busca rápida
por título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 

clique aqui e conheça os títulos
Para compras neste site, o frete é grátis para todo o Brasil
Cadastre-se aqui para receber nossas notícias de lançamentos e eventos
Por tempo indeterminado, não avaliaremos originais encaminhados sem solicitação prévia da editora.

 


Notícias

Nuvens, de Hilda Machado (1951-2007), e Sobre isto, de Maiakóvski, com tradução de Leticia Mei, vencem o Prêmio Jabuti 2019

Daniele Pisani autografa O Trianon do MAM ao MASP em evento no IAB-SP que conta com a participação de Aracy Amaral, Fernando Viegas e Giacomo Pirazzoli

Cinco títulos da Editora 34 estão entre os semifinalistas do Prêmio Jabuti 2019

Zuza Homem de Mello, Yasmin Nigri e Guilherme Gontijo Flores são finalistas do 4º Prêmio Rio de Literatura

Lúcio Kowarick autografa a nova edição de Trabalho e vadiagem na Livraria da Travessa - Pinheiros

Editora 34 e Livraria da Vila realizam o ciclo de encontros "Russos na Vila" para debater a literatura russa

ABRALIC anuncia os vencedores do Prêmio Boris Schnaiderman e sagra as traduções de Sobre isto, de Maiakóvski, feita por Leticia Mei, e de O ano nu, de Boris Pilniák, por Lucas Simone

O homem que plantava árvores, de Jean Giono, recebe o Prêmio Monteiro Lobato da FNLIJ

Leyla Perrone-Moisés, Milton Hatoum e Samuel Titan Jr. participam de bate-papo que marca a reedição de Três contos, de Gustave Flaubert, pela Coleção Fábula

As ilustrações de Daniel Bueno para O homem que plantava árvores, de Jean Giono, são selecionadas para a Bienal de Ilustrações de Bratislava

Ismail Xavier é presença confirmada na Flip 2019

 

Indicações

Foram registradas em áudio as mesas-redondas da série Encontros de Literatura Russa, realizada pela Editora 34 e o Centro Universitário Maria Antonia no final de 2012. Esses registros estão disponíveis aqui.

 

Reedições
Marcelo Mirisola, Quanto custa um elefante?
Jairo Severiano, A canção no tempo
Geoffrey Chaucer, Os Contos de Canterbury
Ivan Turguêniev, Memórias de um caçador
Johann Wolfgang von Goethe, Os anos de aprendizado de Wilhelm Meister
Aristóteles, De Anima
Anton Makarenko, Poema pedagógico
Beatriz Bracher, Não falei
Paul Gilroy, O Atlântico negro
Lúcio Kowarick, Escritos urbanos
David Halberstam, Michael Jordan
Carlos Calado, Tropicália: a história de uma revolução musical
 

Busca de conteúdo

 

 


Editora 34 na internet

A Editora 34 relança os dois primeiros livros, hoje clássicos, do grande escritor João Antônio (1937-1996): Malagueta, Perus e Bacanaço, publicado originalmente em 1963, e Leão de chácara, de 1975. Ao recriar a linguagem popular em seus contos, segundo Antonio Candido, “João Antônio faz para as esferas malditas da sociedade urbana o que Guimarães Rosa fez para o mundo do sertão”.
Lançamentos
 

Escritos corsários

Pier Paolo Pasolini

Tradução de Maria Betânia Amoroso
Prefácio de Alfonso Berardinelli
 R$ 68,00

Último livro organizado pelo autor em vida, Escritos corsários é uma das principais obras do poeta, cineasta e romancista italiano Pier Paolo Pasolini (1922-1975).
Nestes artigos publicados na imprensa italiana entre 1973 e 1975, Pasolini discute os movimentos estudantis de 1968, a decadência da Igreja Católica, as relações entre governo e máfia na Itália e, especialmente, aquilo que ele chama de Novo Poder — ou novo fascismo —, isto é: o advento de uma sociedade de consumo global, que promove um verdadeiro extermínio das formas de vida tradicionais. Considerado em retrospecto, fica claro que Pasolini anteviu o movimento de aceleração do capitalismo que viria a ocorrer nas décadas seguintes, resultando nas graves crises do século XXI.

 
 

Malagueta, Perus e Bacanaço

João Antônio

 R$ 47,00

Livro de estreia de João Antônio (1937-1996), Malagueta, Perus e Bacanaço foi lançado em 1963 e tornou-se de imediato um clássico, na mesma linhagem de autores como Antonio de Alcântara Machado e Lima Barreto. Seus nove contos concisos e diretos, de tintas autobiográficas mas isentos de sentimentalismo, recriavam saborosamente o ritmo e o léxico da língua popular de uma São Paulo praticamente desconhecida pelos leitores - a língua do pé-de-chinelo que chuta tampinhas pela rua e joga sinuca nos botecos. Ambientado na capital paulista no final dos anos 1950 e início dos 60, por este livro desfilam pequenos funcionários, soldados rasos, camelôs, malandros e desocupados que, pelas mãos de João Antônio, entraram finalmente pela porta da frente de nossa literatura.

 

   

O romance de Tristão

Béroul

Tradução de Jacyntho Lins Brandão
 R$ 68,00

A história de Tristão e Isolda, de origem celta, incendiou a imaginação de poetas, músicos, ficcionistas e dramaturgos por vários séculos, tendo inspirado a célebre ópera de Wagner. O romance de Tristão, do misterioso Béroul, uma narrativa em versos rimados e metrificados composta entre 1150 e 1190, integra o ciclo de histórias do rei Artur e os cavaleiros da Távola Redonda, e marca o surgimento do romance moderno no Ocidente. A presente edição bilíngue, apresentada e traduzida por Jacyntho Lins Brandão, professor emérito da Universidade Federal de Minas Gerais, foi vertida diretamente do francês arcaico e recupera, em nossa língua, todo o brilho, o frescor, a inventividade e o colorido dos 4.485 versos dessa indiscutível obra-prima da literatura medieval.

 
 

Leão de chácara

João Antônio

 R$ 42,00

"Um soco", já disse o crítico Leo Gilson Ribeiro sobre o vigor estilístico de Leão de chácara, comparando seu autor a Céline e Jean Genet, escritores que viveram no universo dos marginalizados e o transformaram em literatura. Publicado em 1975, é o segundo livro de João Antônio (1937-1996). Entre Malagueta, Perus e Bacanaço e este, o golpe de 1964 e a mudança do escritor para o Rio de Janeiro. Talvez por isso, nos três primeiros contos, ambientados na capital carioca, o estilo é mais incisivo, as gírias multiplicam-se e o enredo carrega mais violência. Com o mesmo espírito, e de forma ainda mais intensa, no famoso conto "Paulinho Perna Torta", que fecha o volume, o próprio personagem narra sua trajetória, de engraxate a rei da Boca do Lixo paulistana.

 

   

O templo

Stephen Spender

Tradução de Raul de Sá Barbosa
Projeto gráfico de
Raul Loureiro
 R$ 62,00

O templo merece lugar entre os grandes livros do período entre as duas guerras mundiais do século XX. Neste romance largamente autobiográfico, que começou a tomar forma em 1929 mas só foi publicado em 1988, cruzam-se a inquietação - sexual, literária, política - do jovem intelectual inglês Stephen Spender e a singularidade de um momento histórico - a República de Weimar - em que uma inédita liberdade de costumes florescia à sombra do nazismo já rampante. Crônica ficcional de um verão passado na Alemanha, em companhia dos amigos e escritores W. H. Auden e Christopher Isherwood, bem como do fotógrafo Herbert List, O templo combina a linhagem do romance de formação com um notável e precoce estudo da ascensão do totalitarismo.

 
 

A individuação à luz das noções de forma e de informação

Gilbert Simondon

 R$ 92,00

Primeiro livro do filósofo francês Gilbert Simondon (1924-1989) publicado no Brasil, este é um estudo de alcance incomum, no qual o autor desloca a atenção do indivíduo para a operação da individuação e, mobilizando conceitos de física, química, biologia, história das ciências, sociologia, psicologia e outros campos, propõe uma reviravolta em noções filosóficas fundamentais como ser, forma, matéria, substância, sistema, energia. Baseado na edição francesa de 2013, este volume reproduz na íntegra a tese de doutoramento defendida na Sorbonne em 1958, acrescida de quatro textos complementares. Traduzida com rigor por Luís Aragon e Guilherme Ivo, sob supervisão dos herdeiros do autor, esta obra faz jus à potência do pensamento de Simondon, cujo legado só hoje começa a ser apreendido e explorado em suas múltiplas dimensões.

 

   

A gaiola

José Revueltas

Tradução de Samuel Titan Jr.
Projeto gráfico de Raul Loureiro
 R$ 42,00

Confinados a uma cela de castigo, à mercê da espera, do poder e do acaso, três prisioneiros seguem os menores movimentos do pavilhão penal, espreitando a chegada providencial das três mulheres que contrabandeiam a droga, "anjo branco e sem rosto", e os libertam da "sufocante massa de desejo" que os tortura... Obra central da ficção latino americana, A gaiola foi escrita em 1969, na prisão de Lecumberri, na Cidade do México, onde José Revueltas pagava caro por seu papel de líder do movimento estudantil de 1968. Um dos grandes textos da literatura penitenciária, na vizinhança de Graciliano Ramos e Jean Genet, A gaiola vai além: brutal e lírica, ela subverte as relações de força e se transforma numa poderosa parábola sobre a condição humana.

 
 

Lojas de canela
e outras narrativas

Bruno Schulz

Tradução de Henryk Siewierski
Posfácio de Angelo Maria Ripellino
 R$ 54,00

O autor polonês Bruno Schulz (1892-1942) criou a sua breve e deslumbrante obra literária em pouco mais de uma década, quando teve a sua vida tragicamente interrompida pela barbárie nazista. Em sua pequena cidade na Europa Central, Drohobycz, escreveu dois ciclos de contos, que alcançariam a admiração de nomes como Witold Gombrowicz, Czesław Miłosz, John Updike e Philip Roth. O presente volume traz o livro de estreia do autor, Lojas de canela, publicado em 1934, incluindo cinco contos adicionais que não figuram em sua segunda obra, Sanatório sob o signo da clepsidra — entre eles, um texto inédito em português, "A primavera" —, e se encerra com um posfácio do eslavista italiano Angelo Maria Ripellino, que lê a obra de Schulz à luz dos seus pares poloneses e das vanguardas europeias, relacionando a "exuberância irrefreável" de sua prosa com as tendências estéticas da art nouveau e do modernismo.

 

   

Seja como for
Entrevistas, retratos e documentos

Roberto Schwarz

 R$ 79,00

Seja como for reúne entrevistas, perfis, artigos e documentos daquele que é, na tradição da Escola de Frankfurt, um dos mais importantes críticos da atualidade. O livro cobre cinquenta anos de uma trajetória na qual a coerência, mais que o apego a um método, está ligada aos problemas objetivos do capitalismo contemporâneo. Roberto Schwarz foi o que mais levou a fundo a análise de suas consequências para a vida cultural na periferia, notadamente em seus estudos sobre Machado de Assis, revelando nesse escritor um crítico até então insuspeitado da modernidade — olhar agudo que se estende, no conjunto de sua obra, a vários outros autores e temas. Por sua atualidade, cabe destacar os textos que revisitam o ensaio "Cultura e política, 1964-1969", nos quais o crítico se interroga acerca da produção artística num quadro que combina o avanço do capital e uma ordem política retrógrada - questão que retorna, com urgência extrema, no Brasil do século XXI.

 
 

O asno de ouro

Apuleio

Tradução de Ruth Guimarães
Apresentação e notas adicionais de Adriane da Silva Duarte
Edição bilíngue
 R$ 88,00

Único romance latino da Antiguidade a sobreviver na íntegra até os nossos dias, O asno de ouro (também conhecido como Metamorfoses), de Apuleio, escrito no século II d.C., influenciou escritores como Boccaccio, Shakespeare e Flaubert. A obra traz a atribulada história do jovem Lúcio que, viajando à Tessália, na Grécia, se hospeda na casa de uma feiticeira, ingere uma poção e é transformado por engano em um asno — sem perder, no entanto, a sua inteligência. Como burro de carga, passa por muitas aventuras e é ouvinte privilegiado de uma série de narrativas contadas pelas personagens do romance, com a célebre história de Eros e Psiquê. Obra única, verdadeira fábula sobre o pecado e a expiação, O asno de ouro é publicado aqui em edição bilíngue, com apresentação de Adriane da Silva Duarte, da Universidade de São Paulo, e tradução direta do latim realizada pela grande escritora Ruth Guimarães (1920-2014), que soube preservar com mestria toda a vivacidade e o colorido do original.

 

   

© Editora 34 Ltda. 2020   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779