Busca rápida
digite título, autor, palavra-chave, ano ou isbn
 
Literatura russa | Cinema e teatro
 

 R$ 47,00
         

        frete grátis  (saiba mais)

       




 
Informações:
Site
site@editora34.com.br
Vendas
(11) 3811-6777

vendas@editora34.com.br
Assessoria de imprensa
imprensa@editora34.com.br
Atendimento ao professor
professor@editora34.com.br

Mistério-bufo

 

Vladímir Maiakóvski

Tradução de Arlete Cavaliere

200 p. - 14 x 21 cm
ISBN 978-85-7326-508-8
2012 - 1ª edição

Figura maior da literatura de vanguarda, para quem a arte e a política deviam andar sempre juntas, Vladímir Maiakóvski (1893-1930) tornou-se conhecido em nosso país sobretudo por sua obra de poeta, graças, em grande parte, à pioneira tradução de seus versos feita em 1967 por Boris Schnaiderman e os irmãos Augusto e Haroldo de Campos.
Mas a genialidade de Maiakóvski ultrapassa o campo da poesia e se manifesta também no teatro. Um dos exemplos mais célebres é a peça Mistério-bufo, escrita e montada inicialmente em 1918. Retrabalhada ao longo de dois anos - e aqui apresentada, pela primeira vez no Brasil, em tradução direta do russo por Arlete Cavaliere, da Universidade de São Paulo -, a segunda versão da peça estreou no primeiro de maio de 1921, obtendo aclamação imediata.
Mistura de comédia, crítica social e crônica paródica da história contemporânea, Mistério-bufo pode ser lida, entre outras coisas, como uma narrativa alegórica do processo revolucionário na Rússia. Combinando alusões à Bíblia com cenas e rimas das mais inusitadas - marcas de oralidade que ele resgata do teatro de feira e do circo -, Maiakóvski traça um retrato vertiginoso e bem-humorado de um tempo que se propôs a reinventar radicalmente a vida.


Sobre o autor
Vladímir Maiakóvski nasceu em 1893 em Bagdádi, na Geórgia. Aos quinze anos inicia sua militância política junto aos bolcheviques, sofrendo repetidas prisões. Em 1911 ingressa na Escola de Pintura, Escultura e Arquitetura de Moscou, onde trava amizade com David Burliúk, com quem fundaria o movimento futurista russo. Em 1915 escreve os poemas Nuvem de calças e Flauta de vértebras, este dedicado a Lília Brik. Após a Revolução de Outubro, adere com entusiasmo ao novo regime, colaborando com a propaganda estatal, sobretudo na elaboração de cartazes, e escreve a peça Mistério-bufo (1918). Entre 1922 e 1923, dirige a revista LEF, pautada pela intenção expressa de aliar arte revolucionária e luta pela transformação social. Realiza viagens pela Rússia e pelo exterior, e compõe, entre outros, o poema Sobre isto (1923) e a peça O percevejo (1929). Suas posições vanguardistas, no entanto, sofrem progressivos ataques, e é acusado de fazer arte "incompreensível para as massas". Em 1930, alguns meses após lançar o poema A plenos pulmões, comete suicídio.


Sobre a tradutora
Arlete Cavaliere é́ professora titular de Teatro, Arte e Cultura Russa no curso de graduação e pós-graduação do Departamento de Letras Orientais da FFLCH-USP. É́ mestre e doutora em Teoria Literária e Literatura Comparada pela mesma instituição, com pesquisas sobre a prosa de Nikolai Gógol e a estética teatral do encenador russo de vanguarda Vsiévolod Meyerhold. É autora de O inspetor geral de Gógol/Meyerhold: um espetáculo síntese (1996) e Teatro russo: percurso para um estudo da paródia e do grotesco (2009), além de ter participado da organização da revista Caderno de Literatura e Cultura Russa (2004 e 2008) e dos livros Tipologia do simbolismo nas culturas russa e ocidental (2005) e Teatro russo: literatura e espetáculo (2011). Publicou diversas traduções, entre elas: O nariz e A terrível vingança, de Gógol (1990); Ivánov, de Tchekhov (1998, com Eduardo Tolentino de Araújo); Teatro completo, de Gógol (2009); Mistério-bufo, de Maiakóvski (2012); e Dostoiévski-trip, de Vladímir Sorókin (2014).


Veja também
O percevejo
Comédia fantástica em nove cenas
Sobre isto
Inveja

 


© Editora 34 Ltda. 2018   |   Rua Hungria, 592   Jardim Europa   CEP 01455-000   São Paulo - SP   Brasil   Tel (11) 3811-6777 Fax (11) 3811-6779